Conheça o conceito de DEX: as exchanges descentralizadas

0
94

Após o sucesso do Bitcoin, o mundo das criptomoedas experimenta hoje o que o mercado chama de finanças descentralizadas (ou DeFi, descentralized finance, em inglês).

Estas operações utilizam criptomoedas, especialmente Ethereum, para operar na blockchain, sem qualquer intermediário. Nesta leva, um novo conceito de exchange surgiu: as DEX, ou exchanges descentralizadas.

As DEX são nada mais que meios de troca de criptoativos entre usuários que prescindem de intermediários entre si.
Nelas os usuários ficam com a custódia das criptomoedas em suas próprias carteiras e interagem no livro de ordem (order book) através de contratos inteligentes (smart contracts).

Nos smart contracts, há a possibilidade de criar ordens de pagamento e recebimento. As trocas se dão diretamente entre as partes interessadas, sem a necessidade de um intermediador, o que garante segurança para aqueles que fazem as trocas.

Como as exchanges descentralizadas são independentes, enquanto funcionam atreladas dentro da blockchain, há o fato de que elas não podem ser derrubadas por governos ou mesmo ficar reféns de poder estatal ou agentes hostis à liberdade individual.

Outro fato que chama atenção são os chamados fees, ou seja, as taxas de operações, cujo pagamento é feito através de tokens da plataforma na qual é operada a DEX.

Deste modo, as operações são extremamente menos onerosas em comparação às exchanges comuns e aos bancos convencionais. Todo o processo ocorre sem qualquer identificação entre ambas a s partes.

Por não ficarem reféns de um servidor central cujo trabalho é controlar a operação, tornam-se desnecessárias e dificultosas, ou melhor, quase impossíveis de derrubá-las.

Modelos de DEX

Hoje, uma das mais conhecidas corretoras pertence à Waves, DEX onde é possível criar tokens por qualquer usuário de modo amigável, de modo que podem ser negociados imediatamente.

Outros modelos também estão sendo desenvolvidos e aprimorados, a fim que possam servir de trocas entre diferentes tipos de blockchains.
Atualmente, as mais conhecidas destas tecnologias de trocas são a Atomic Swap e o protocolo 0x.

Pontos positivos das DEX

Autocustódia: diferente das exchanges convencionais cujo trabalha descentralização não necessita de uma corretora que faz a custódia do criptoativo;

Anonimato e privacidade: as exchanges descentralizadas ou DEX permitem que usuários possam abrir contas e operarem sem qualquer tipo de documentação ou KYC, o que garante total anonimato e privacidade dos usuários;

Liberdade de gerenciamento e sem intermediários: é o dono da wallet que faz o que quiser com seu próprio criptoativo sem necessidade de intermediação de terceiros.

Gostou dos nossos textos? Não esqueça de compartilhar!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui