27.4 C
Brasília
21 de janeiro de 2020
- Publicidade -

Rodrigo Maia é cobiçado como vice em chapa petista

Author

Categories

Share



Rodrigo Maia – O deputado petista José Guimarães (PT-CE) havia manifestado interesse em ter o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), como vice-presidente da República em uma chapa do Partido dos Trabalhadores.

Com esse desejo, o deputado do PT solicitou um encontro com Maia e na terça-feira (19), segundo o UOL, o presidente da Câmara aceitou o convite de encontro.

Maia, no entanto, não visualiza uma possibilidade de coligação com Lula, pois seu anseio é fortalecer partidos de centro, fugindo da polarização Lula-Bolsonaro.

“Ele é um ex-presidente da República e eu não recusaria o encontro. Mas agora é hora de cuidar do meu projeto” – declarou.

Parece que a estratégia do Partido dos Trabalhadores não mudou: querem estar juntos com o Centrão, assim como antes selecionaram José Alencar como vice de Lula; e Temer, de Dilma.

E hoje quarta-feira (20), a Câmara dos Deputados fará a entrega da Medalha do Mérito Legislativo.

Os homenageados incluem figuras amplamente desprezadas por boa parte do povo brasileiro: Glenn Greenwald, Gilmar Mendes e Dias Toffoli.

Um show de horrores.Tais nomes foram indicados por líderes de bancada os quais já se pode imaginar quem são.

Através de suas redes sociais, a deputada federal Bia Kicis manifestou sua indignação do trio à premiação:

“Tem gosto pra tudo. Eles fora indicados por algum parlamentar. @ggreenwald agraciado? Gilmar, Toffoli? O primeiro é um estrangeiro que faz de tudo p/ desestabilizar a democracia. Os demais estão honrando a toga? O que o povo acha disso?”

Protocolo

O colunista afirma que Maia costuma dizer que não vê essa possibilidade. Sua ideia é manter um encontro protocolar com Lula, no gabinete da presidência da Câmara e não na sua residência. “Ele é um ex-presidente da República e eu não recusaria o encontro. Mas agora é hora de cuidar do meu projeto” declarou.

Seu projeto atual seria unir os partidos de centro e se colocar como uma alternativa à polarização entre Lula e a ultradireita conservadora, liderada por Jair Bolsonaro.

Author

Share