A evolução das câmeras fotográficas digitais

0
4510

A ideia começou nos anos 70: uma câmera que não produzisse imagens somente com uso do filme fotográfico. Nascia, assim, o primeiro esboço de uma câmera digital. Foram anos de estudos e modificações até as super modernas digitais que temos no mercado atualmente. Acompanhe a evolução deste aparelho tão utilizado por nós!

O início

Considerada a primeira câmera digital, este protótipo foi criado na Kodak, por Steven Sasson, em 1975. Um verdadeiro Frankenstein, montado com partes de telefones e câmeras analógicas, pesava cerca de 4 kg e gerava imagens em preto e branco, registradas em fita cassete. O resultado era uma foto com 0.1 megapixel, que levava 23 segundos para ser produzida.

Mavica

O desenvolvimento veio em 1981, quando a Sony lançou a câmera Mavica (Magnetic Video Camera). Ela estava entre o analógico e o digital, pois armazenava as fotos coloridas em pequenos disquetes que podiam ser visualizadas na televisão.

Fuji DS-1P e Dycam Model 1

A primeira câmera verdadeiramente digital foi a Fuji DS-1P, desenvolvida em 1988. Ela tinha memória de 16 MB mas nunca foi comercializada. Só dois anos depois foi lançada uma câmera digital que chegou ao mercado: Dycam Model 1, que já armazenava imagens em arquivos JPEG.

Hasselblad DB 4000

Algumas tentativas de aliar câmeras analógicas e digitais foram criadas, como a estranha Hasselblad DB 4000, de 1991. Suas imagens eram de 2048×2048 pixels, capturadas com um sensor CCD e armazenamento de 8-bits.

A pesada DSC200

A Kodak lançou a DSC200 em 1994. Ela funcionava com uma Nikon N8008s e produzia imagens com uma resolução de 1.5 MP, com armazenamento de até 80 MB. Não possuía visor LCD e o tempo estimado entre as fotos era de 2,5 segundos. E seu peso não era nada agradável: 1,7 kg.

A câmera da Apple

E nem só de iPhones, iPods e iPads se construiu o império de Steve Jobs. Em 1994 a Apple se aventurou pelos caminhos ainda incertos da fotografia digital e lançou a Apple QuickTake 100. Produzida pela Kodak, a câmera produzia até oito imagens com resolução VGA (640×480). Foi a primeira câmera digital coloria a custar menos que U$ 1000.

Menos de 1M P de resolução

Em 1996, empresas como Canon e Cassio também entraram para este mercado e as novas câmeras pareciam começar a tomar a forma que hoje conhecemos. A Olympus D-300L foi o grande lançamento do ano, com até 0.8 MP de resolução. E custava cerca de U$ 900.

Novas empresas entram na concorrência

No ano seguinte surgiram as primeiras Nikon Coolpix e novas câmeras da Olympus com maiores resoluções. A Fuji lançou a DS-300 em 1997, com 1.3 MP e zoom de até 3x.

A volta da Mavica

Em 1998, a Sony relança a Mavica, agora verdadeiramente digital e com possibilidade de armazenar as fotografias em disquetes. A MVC-FD91 produzia imagens com resolução de até 1024 x 768, variação de abertura e velocidade e custava U$ 700.

Popularização da fotografia digital


Tamanho menores da Mavica se popularizavam rapidamente, com armazenamento em disquetes baratos e fáceis de encontrar. A MVC-FD51 foi um sucesso de vendas da Sony.

CyberShot

No final do século XX as câmeras digitais já eram produzidas por inúmeras empresas, mas ainda com resolução e preços nada agradáveis. Uma dos primeiros modelos CyberShot da Sony foi lançado em 1999. A DSC-F505 era bem diferente das compactas atuais.

Super resolução de… 6.1 MP

A robusta Kodak DSC-660 era uma das câmeras digitais com maior resolução do mercado. Enquanto a maioria variava entre 1 e 2 MP, a DSC-660 tinha impressionantes 6.1 MP de resolução. Ela pesava quase 2 kg.

As primeiras profissionais

A partir dos anos 2000 já era possível pensar em trabalhar com câmeras digitais para fotografar profissionalmente, pois a qualidade das imagens aumentava rapidamente. A Nikon D1 foi a primeira linha de digitais profissionais da empresa japonesa.

FinePix, da Fuji

As câmeras começaram a ficar cada vez menores e mais acessíveis. A Fujifilm também entrou no mercado com a linha FinePix. Este modelo é o A205 e tinha resolução de 2 MP. Seu grande problema era o auto consumo de energia.

Modelos populares

A CyberShot da Sony é sem dúvida um dos modelos de câmeras compactas mais vendidos no mundo todos. A DSC-P9 tem o design que foi super popular no começo do século XXI. Esta câmera tem 4 MP de resolução e 3x de zoom óptico.

Câmera transparente?

Com a evolução da tecnologia para as digitais até alguns modelos inusitados começaram a surgir, como a D80 Skelton, da Nikon. Lançada em 2006, ela é toda transparente deixando a mostra as inúmeras partes necessárias para gerar a imagem digital.

Visores LCD cada vez maiores

Além de surgirem novas câmeras com cores variadas, como esta vermelha da Sony, os novos modelos de compactas priorizam também o tamanho do visor LCD. Este, o modelo CyberShot DSC-TX7, tem visor de 3,5.

Muitos megapixels!

Na onda dos megapixels, alguns fabricantes acabam exagerando. A Seitz produziu esta câmera que faz imagens de até 160 MP. Isso significa que cada foto ocupa 1GB de memória. A câmera chega a custar U$ 45000.

Visores LCD móveis

Outro avanço na tecnologia nos faz esquecer dos minúsculos visores LCD das primeiras câmeras digitais. Além de grandes, eles podem ser móveis. A HS10 é um dos modelos de câmera semi profissionais mais recentes da Fuji.

Dois visores LCD?

E como se um visor não bastasse, agora é possível ter dois! A ST550 da Samsung tem um visor de 3,5 na parte de trás e outro menor ao lado da lente, para que você possa tirar auto-retratos ou exibir animações para chamara atenção de crianças.

À prova de tudo!

Cada vez menores e mais potentes, as câmeras digitais também estão ficando resistentes. A série XP10, da Fuji, é à prova de choque, aguenta temperaturas -10°C e encara até 3 metros de profundidade na água.

Super câmera profissional

As câmeras profissionais também buscam sempre a máxima qualidade de imagem. Um sonho de consumo é a D3X da Nikon. Sua resolução máxima é de 24.5 MP. Mas seu preço pode variar entre salgados R$ 22000 a R$ 24000.

Celular ou câmera digital?

Esta é a pergunta que se faz para o novo aparelho da Samsung, o SCH-W880. Inicialmente, vazou como a primeira câmera com celular. Mas a fabricante já se pronunciou: é um celular. Mas é o primeiro a ter zoom óptico de 3x.

Projetor de imagens

De todas as características das câmeras atuais, a Nikon Coolpix S1000pj tem uma das mais interessantes. Ao observar as câmeras de dez anos atrás, com sofríveis 2 MP e visores de 1″, quando poderíamos imaginar uma câmera digital de 12.1 MP e um projetor de imagem embutido, que exibe suas fotos em até 40″.

Compactas e profissionais

E, por fim, mostramos o último lançamento do mercado. O encontro da câmera digital compacta com a profissional: NEX-3 e NEX-5. Os modelos recém-lançados da Sony tem tamanho de câmera compacta, mas suportam lentes intercambiáveis presentes nas câmeras profissionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui