Por que a oposição é contra MP antifraude?

0
677

“O Congresso tem sido parceiro”, diz Marinho sobre expectativa para votação da MP antifraude

Rogério Marinho, secretário especial da Previdência, disse estar confiante de que a MP 871, que trata do combate a fraudes no INSS, será votada e aprovada no Senado na próxima segunda-feira, último dia de validade da medida.

“Essa é uma pauta que interessa a todo o Brasil. O Congresso tem sido parceiro na reestruturação de nosso sistema previdenciário e na necessidade de corrigir eventuais falhas que existem no INSS.”

Davi Alcolumbre disse a Lasier Martins que está telefonando para cada senador, tentando garantir o quórum para votar na segunda-feira a MP antifraude.

“Até agora, não houve acordo. Sabe-se que a oposição tem 17 votos contra o projeto, que moraliza o INSS, manda revisar os benefícios concedidos, entre outras medidas, flagrando fraudes. A oposição é contrária ao projeto em razão de interesses sindicais, que não estão sendo atendidos”.

Líder de bloco da oposição diz ainda não ter posicionamento sobre MP antifraude

O senador Veneziano Vital do Rêgo, líder do bloco formado por PSB, PDT, Cidadania e Rede, disse que já foi convocado por Davi Alcolumbre para estar em Brasília na votação da MP antifraude, marcada para segunda-feira, mas ainda não sabe o posicionamento do bloco.

“Ainda não conversei com os companheiros do bloco. Eu estou indo [para Brasília na segunda], mas não foi definida estratégia por parte do bloco.”

“Vai votar, vai ter quórum, sim”

A senadora Soraya Thronicke, do PSL, disse acreditar que a MP antifraude será votada e aprovada na próxima segunda-feira.

“Esse é o acordo [para votar na segunda]. Tem que votar. Se não votar, ela [a medida] cai. Vai votar, vai ter quórum, sim.”

A senadora reforçou o que anunciou, durante live com Jair Bolsonaro: “Estarei em viagem [em missão oficial] para a Alemanha. Expressei minha insatisfação. A sessão era para ontem, quinta-feira. Fiquei muito chateada. Não posso votar na segunda, estou frustrada”.

“Oposição não vai ajudar”, diz líder do PDT sobre votação da MP antifraude

O senador Weverton Rocha, líder do PDT, disse que a oposição “não vai ajudar” na aprovação da MP 871, que trata do combate às fraudes no INSS e poderá caducar na segunda-feira.

O PDT entende que “faltou na medida provisória a inclusão da responsabilização por parte do INSS de responder em tempo hábil para o segurado e não deixá-lo sem resposta e aposentadoria por meses a fio”.

O senador apresentou emendas que estabelecem prazos de 20 dias para que o INSS dê resposta positiva ou negativa ao segurado sobre o seu processo.

Na próxima segunda-feira, Weverton estará em missão oficial na Guiana Francesa.

“Vamos tentar salvar a MP”

Os senadores do Acre mudaram a agenda e estarão em Brasília na próxima segunda-feira para a votação da MP antifraude — se não for votada na segunda, a MP caducará.

Quem organizou a alteração nos compromissos foi o senador Márcio Bittar (MDB), um dos vice-líderes do governo no Senado.

“Estou ajudando a falar com os outros senadores para ajudar a dar quórum. Estamos na luta. Não é fácil, mas vamos tentar salvar a MP”, disse ele.

Inicialmente, o trio do Acre estaria no estado, em uma agenda com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. O compromisso foi cancelado e os três votarão a favor da MP que combate fraudes no INSS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui